domingo, 12 de setembro de 2010

5 pontos fundamentais para viver um amor saudável

1- APRENDA A AMAR-SE
Muitas vezes, quando estamos emocionalmente dependentes de alguém, nós olhamos, ainda que inconscientemente, para eles como um "preenchimento" para cobrir e distrair-nos de resolver questões emocionais em nós mesmos. Para verdadeiramente amar alguém, primeiro temos de descobrir e explorar o que é o amor, e isso significa começar com a pessoa com quem gastamos mais tempo, nós mesmos! Nós podemos muitas vezes nomear as nossas imperfeições bem mais rápidamente do que nossas qualidades positivas, e somos muito rápidos para criticar-nos acima de qualquer coisa que não nos satisfaz. Isso tudo tem que mudar. Tente todos os dias identificar as suas qualidades positivas, trazê-las mais à tona e aumentá-las, e quando cometer um erro, tente vê-lo como um "trabalho em progresso", em vez de um fracasso absoluto. Quando o seu amor-próprio e sua auto-estima aumenta, você é então capaz de abordar as relações com os outros com muito mais tranqüilidade.

2- USE O CORAÇÃO
Junto com a palavra "amor", a palavra “coração” é muitas vezes arrastada para muitas conversas e usada para descrever todas as formas de comportamento, boas e más. Quando falamos de coração, nós queremos dizer o espaço no meio do peito que apontamos quando dizemos "este sou eu" - o lugar em que sentimos a essência do nosso ser mais do que em qualquer outro lugar. É também onde a maioria das nossas qualidades mais elevadas e mais nobres emanam de - empatia, bondade e amor.
O apego emocional, por outro lado, é uma matriz emaranhada de sentimentos da mente e também da parte emocional do nosso ser, localizado mais próximo do umbigo. Porque as fontes de amor e apego emocional estão localizados tão frouxos juntos, eles podem e são muitas vezes confundidos pela pessoa sem discernimento. No entanto, colocando de lado algum tempo de cada dia para uma prática de auto-descoberta e auto-instrução (por exemplo meditação), isso permitirá distinguir um do outro.

3- NÃO TENHA EXPECTATIVA
"Quando o amor é puro e espiritual, não há demanda, nem expectativa. Há somente o doce sentimento de unidade espontânea com o ser humano ou seres em causa. " - Sri Chinmoy
Antropólogos sociais descrevem muitas vezes as relações humanas como um contrato – nós damos o nosso amor a uma pessoa e, ao mesmo tempo, nós subconscientemente depositamos todos os tipos de expectativas que queremos que seja cumprido na outra pessoa. E então, quando a outra pessoa não suficientemente satisfaz nossas exigências (que, definitivamente acontece ao longo do tempo – nós somos todos imperfeitos) nós nos sentimos para baixo e com raiva da pessoa, a nossa insegurança e medo de não ser amado vêm à tona, e nós muitas vezes recorremos a algum tipo de manipulação emocional para tentar levá-los a cumprir as nossas exigências.
O amor verdadeiro, por outro lado, é como o sol. O sol brilha seus raios e dá o seu calor para toda a gente, sem nada em troca. Isto pode soar como ingenuidade para a mente calculista, mas quando nós amamos de verdade nós sentimos exatamente como o sol - nós só queremos espalhar nosso amor e boa vontade em qualquer lugar que nós podemos. Com este tipo de amor nós temos distanciamento - não temos idéias fixas sobre como esse amor deve ser absorvido por outros, o simples ato de dar amor preenche o nosso coração imensamente.

4- APRENDA A LIBERAR
Muitas vezes, nós colocamos restrições mentais nas pessoas que amamos, pode ser que se trate dos pais vivendo seus sonhos através de suas crianças, ou de alguém “preso” em um relacionamento. O verdadeiro amor significa amar as pessoas pelo que elas são, sem tentar transformá-las no que você quer que elas sejam. O maior serviço que você pode proporcionar a alguém que você ama é permitir que eles cresçam dentro do potencial de seus espíritos mais elevados - às vezes isso significa activamente ajudando-os, mas outras vezes, isto significa reconhecer quando você está a bloquear o caminho para aquilo acontecer e sair fora do caminho!

5. A FORÇA INTERIOR: PACIÊNCIA E PERDÃO
Para desenvolver o amor, nós temos também que desenvolver perdão e paciência. Para perdoar alguém, é necessário ver além de suas imperfeições da superfície e apreciar a beleza que se encontra no fundo. O amor sempre anda de mãos dadas com este reconhecimento da beleza interior dentro de uma pessoa, e quando podemos ver essa beleza interior de uma pessoa e apreciá-la, nós ajudamos a trazer à tona a beleza e, talvez, evitar qualquer coisa lamentável que essa pessoa possa ter feito de ocorrer novamente. Este nosso mundo pode parecer um lugar absolutamente desleal às vezes, mas desenvolvendo esta qualidade de amor para todos que você encontrar, lhe permitirá elevar-se acima "dos estilingues e das setas da fortuna ultrajante" que as pessoas possam jogar em você e ainda manter a sua fé na humanidade intacta.

1 comentários:

danó disse...

Muito obrigada, irei fazer :)
beijinhos, um bom inicio de semana*

Enviar um comentário